Sistemas Agroflorestais

O projeto Sistemas Agroflorestais para recuperação e proteção dos ecossistemas no território indígena Jenipapo Kanindéatua no Complexo Vegetal da Zona Litorânea da aldeia indígena Jenipapo-Kanindé, em Aquiraz-Ce. Entre as ações do projeto, destacam-se a adoção de práticas agroecológicas de uso da terra, a proteção de matas nativas e de Áreas de Preservação Permanente (APPs) e formações em educação ambiental.O objetivo é contribuir para conservar áreas com boa cobertura vegetal, com reflexos sobre a fixação de gases de efeito estufa e sobre o aumento da geração de renda e melhoria da qualidade de vida da comunidade indígena. Com apoio financeiro do Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN), através do Programa de Pequenos Projetos Ecossociais (PPP-Ecos), o projeto é executado pela Associação para Desenvolvimento Local Co-Produzido (Adelco).

 

Impactos do projeto:

As diversas ações desenvolvidas pelo projeto (formações sobreeducação ambiental,agrossilvicultura e outras técnicas de base agroecológica, diagnóstico socioambiental, conservação da biodiversidade, recuperação de trilhas ecológicas, formação de guias, implantação de ilhas de coleta seletiva de lixo e constituição de um acervo ambiental para o Museu Indígena), têm como impacto:

  • A reconversão de cinco hectares de plantio em sistemas agroflorestais (SAF)
  • A adoção de práticas agroecológicas e de cuidados com o meio ambiente pela comunidade Jenipapo-Kanindé,gerando uma mudança de cultura que resulte na preservação e melhor usufruto do ambiente
  • O fortalecimento da produção agrícola,garantindo segurança alimentar ampliada
  • O fortalecimento do turismo comunitário e o consequente aumento da geração de renda
  • Uma melhor gestão dos recursos naturais e seu usufruto pela comunidade

Resultados esperados

  • Recuperação/incremento da produção agrícola e pastoril de áreas degradadas
  • Biodiversidade local fortalecida
  • Conservação das matas e águas
  • Geração de renda
  • Ações de turismo comunitário ampliadas
  • Segurança Alimentar e Nutricional fortalecida
  • Melhoria de qualidade de vida indígena

 

Caminho da tribo

A comunidade indígena Jenipapo-Kanindé situa-se às margens da Lagoa Encantada, a 55km de Fortaleza, no município de Aquiraz, litoral leste do Ceará. São 364 pessoas, 106 famílias, que vivem da agricultura (milho, batata doce, feijão e mandioca), pesca, criação de animais e serviços. Suas terras, demarcadas em 2010, abrangem uma área de 1.731 hectares. A maioria das residências é de alvenaria, mas ainda há algumas casas de taipa. O abastecimento de água (70,8%) é feito por poços e só 12,5% tem acesso à água encanada. As práticas tradicionais de desmatamento e queimada têm causado o declínio da produtividade, degradação ambiental, insegurança alimentar e financeira da comunidade.

 

Trilhas do PPP-Ecos

O Programa de Pequenos Projetos Ecossociais (PPP-ECOS), que patrocina o projeto, foi criado para apoiar iniciativas de ONGs que geram impactos ambientais globais positivos, combinados com o uso sustentável da biodiversidade. Tendo como coordenação técnico-administrativa o Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN), apoia ações no bioma Cerrado, na Caatinga e na Amazônia.

O PPP-ECOS é um programa apoiado pelo Fundo para o Meio Ambiente Mundial (GEF) e pelo Fundo Amazônia (BNDES) e é executado por meio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Existente em 130 países do mundo, é conhecido internacionalmente como SmallGrantsProgramme (SGP).

Desde sua implantação no Brasil, em 1994, apoiou 340 projetos em treze estados e no Distrito Federal. Além disso, o PPP-ECOS influenciou política públicas nacionais e desenvolveu novas tecnologias. As propostas apoiadas pelo PPP-ECOS se baseiam na participação das comunidades, desenvolvem estratégias de sustentabilidade e inovação, têm potencial de replicação, levam em consideração relações de gênero e gerações harmoniosas, promovendo a inclusão social, inclusive racial e étnica. Os principais grupos apoiados têm sido os de agricultores familiares, assentados da reforma agrária, indígenas, quilombolas, ONGs e movimentos sociais.

Notícias desse projeto

8 de abril de 2016

Publicação traz informações sobre as Trilhas Etnoecológicas do Povo Jenipapo-Kanindé

Neste sábado (09), a partir das 9h, será realizado no Museu Indígena Jenipapo-Kanindé, na comunidade Lagoa da Encantada, em Aquiraz-CE, o lançamento do Guia das Trilhas Etnoecológicas Jenipapo-Kanindé.  A publicação traz informações e mapas das cinco trilhas ecológicas recuperadas pelo Projeto Matas da Encantada, desenvolvida pela ADELCO com patrocínio da Petrobras, e pelo projeto do

30 de setembro de 2015

Assessor técnico do ISPN visita Projeto Sistemas Agroflorestais Jenipapo-Kanindé

  A ADELCO recebeu na última terça-feira (29) a visita do assessor técnico do Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN), Renato Araújo. O objetivo do gestor foi acompanhar o Projeto Sistemas Agroflorestais Jenipapo-Kanindé, financiado pelo Programa de Pequenos Projetos Ecossociais (PPP-ECOS). Renato Araújo visitou a comunidade indígena Jenipapo-Kanindé, em Aquiraz, e conheceu de perto as ações

16 de abril de 2015

Jenipapo-Kanindé: Oficina de trilhas prepara placas de sinalização

As trilhas ecológicas da Comunidade Jenipapo-Kanindé, em Aquiraz-CE, começam a ganhar uma cara nova. Ontem (15/04), a equipe do Projeto Matas da Encantada realizou mais uma etapa da oficina de trilhas. Desta vez, os jovens realizaram a pintura das placas de sinalização que devem compor os caminhos usados pelos visitantes. Foram identificados os principais atrativos

23 de outubro de 2014

PPP-Ecos (Fotos)

10 de setembro de 2014

Jenipapo-Kanindés participam de oficina de Economia Solidária em Aquiraz

A comunidade indígena Jenipapo-Kanindé participa, entre os dias 02 e 04/04, em Aquiraz/Ce, de uma oficina sobre Economia Solidária e Sustentabilidade, ministrado pela educadora popular, advogda e especialista em questões agrárias, Magnólia Azevedo Said. A formação, realizada na Pousada Jenipapo-Kanindé, faz parte das atividades do projeto “Etnodesenvolvimento de comunidades indígenas do Ceará”, cujo objetivo é