22 de novembro de 2017

Inter-American Foundation visita projeto da Adelco

Nos últimos dias 17 e 18 de novembro, a Adelco recebeu a visita de David Fleischer, representante da Inter-American Foundation – IAF.  Marciano Moreira, coordenador do Projeto Maracas e Patrick Oliveira, coordenador geral da Adelco acompanharam a visita.
O encontro teve como objetivo o acompanhamento das ações realizadas pelo Projeto Maracas – Saneamento ecológico e turismo solidário indígena, realizado pela Adelco e apoiado pela IAF, desde 2016. O projeto acontece junto aos Povos Pitaguary e Tremembé de Almofala e segue até 2018.
O grupo visitou as famílias Pitaguary, beneficiadas com fossas ecológicas e cisternas de ferrocimento. Também foi visitado o Museu Pitaguary, acompanhado pelo projeto.
“Essas visitas são super importantes para que o financiador veja o impacto real de projetos como os nossos na vida das pessoas”, defende Marciano.

Entenda como funciona o Projeto Maracas – Saneamento ecológico e turismo solidário indígena

Esta iniciativa busca melhorar a qualidade de vida de comunidades indígenas no Ceará, favorecendo maiores e melhores condições de saneamento ambiental e fortalecendo o turismo comunitário. Os princípios da iniciativa são: o fortalecimento da cultura e da identidade étnica; autodeterminação e a territorialidade; e a autogestão.

Trabalhamos diretamente com duas etnias (Tremembé e Pitaguary), 975 pessoas e 7.667 beneficiários indiretos. Nosso apoiador principal é a Fundação Interamericana – IAF, mas também contamos com as parcerias da: Fundação Nacional do Índio (FUNAI), do Centro de Defesa e Promoção dos Direitos Humanos da Arquidiocese de Fortaleza (CDPDH), a Rede Tucum (Rede de Turismo Comunitário) e as associações indígenas locais.

Objetivos:

– Melhoria do sistema de saneamento ambiental estimulada através da educação ambiental;
– Programa de captação, armazenamento de água da chuva e de saneamento ecológico implantado na comunidade utilizando tecnologias alternativas;
– Conceitos, enfoques e instrumentos práticos para o desenvolvimento do turismo solidário apropriados pelos indígenas;
– Produtos e serviços turísticos de comunidades indígenas com dimensão territorial e cultural melhor estruturados;
– Renda das famílias indígenas aumentadas;
– Fluxo turístico nas comunidades indígenas aumentado.
Fonte: Comunicação Adelco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *